A dona da história

Claudia Abreu retorna às novelas estrelando “A Lei do Amor”, interpretando Helô, uma mulher que por duas vezes em sua vida é resgatada pela força do amor

 

Protagonizando uma história que estreou com a missão de alavancar a audiência do horário nobre das novelas globais, Claudia Abreu está de volta à cena na novela “A Lei do Amor”, na qual Reynaldo Gianecchini é o “mocinho” que disputa sua amada com o vilão, interpretado por José Mayer. Eis o triângulo amoroso.

Claudia Abreu é a protagonista de “A Lei do Amor” fazendo par romântico com Reynaldo Gianecchini, seu amigo na vida real / Renato Rocha Miranda-RG
Claudia Abreu é a protagonista de “A Lei do Amor” fazendo par romântico com Reynaldo Gianecchini, seu amigo na vida real / Renato Rocha Miranda-RG

Claudia Abreu estava longe da televisão desde que atuou em “Geração Brasil”, em 2014. Durante esse período, descansou, cuidou de sua família e se dedicou a outros projetos, entre eles, ela está escrevendo a série “Valentins”, voltada ao público infantil e que será produzida pelo canal pago Gloob.

Claudia Abreu mudou o visual especialmente para a novela “A Lei do Amor”. Talentosa e segura de si, a atriz demonstra fôlego invejável administrando muito bem sua carreira e sua vida pessoal / Marcos Rosa-RG
Claudia Abreu mudou o visual especialmente para a novela “A Lei do Amor”. Talentosa e segura de si, a atriz demonstra fôlego invejável administrando muito bem sua carreira e sua vida pessoal / Marcos Rosa-RG

A sua atual personagem, Helô, na primeira fase da trama foi vivida por Isabelle Drummond e era uma moça sofrida, sem recursos e que perdeu os pais quase ao mesmo tempo. A trama deu um pulo no tempo e daí Helô, agora vivida pela atriz, apareceu como uma mulher bem cuidada, entendida em Arte e bem casada com Tião Bezerra (José Mayer). No entanto, Helô é tirada da sua zona de conforto quando Pedro (Reynaldo Gianecchini) reaparece e ela descobre que o amor do passado continua mais vivo do que antes.

Claudia Abreu e Isabelle Drummond, as interpretes de Helô, em “A Lei do Amor”. Esta não é a primeira vez que trabalham juntas; já contracenaram em “Cheias de Charme” e “Geração Brasil” / Marcos Rosa-RG
Claudia Abreu e Isabelle Drummond, as interpretes de Helô, em “A Lei do Amor”. Esta não é a primeira vez que trabalham juntas; já contracenaram em “Cheias de Charme” e “Geração Brasil” / Marcos Rosa-RG

O casal da ficção já ganhou a simpatia do público que segue a história de “A Lei do Amor” e a torcida é para que tenham um final feliz. No entanto, como toda novela, antes de isso acontecer, é provável que o casal passe por duras provas. Uma delas é que Letícia (Isabela Santoni) é filha biológica de Pedro, o homem que a moça tanto odeia e que quer manter longe da mãe, a qualquer custo. Tião Bezerra a assumiu como filha quando se casou com Helô.

As desavenças fazem parte da ficção. Quem convive nos bastidores das gravações de “A Lei do Amor” conta que o clima de camaradagem contagiou todo o elenco e os trabalhos transcorrem muito bem em todos os núcleos da trama.

Na vida real, Claudia Abreu é casada com o cineasta José Henrique Fonseca e o casal tem 4 filhos. Paralelamente a sua atuação em “A Lei do Amor”, a atriz está escrevendo a série “Valentins”, que será produzida pelo canal pago Gloob / Renato Rocha Miranda-RG
Na vida real, Claudia Abreu é casada com o cineasta José Henrique Fonseca e o casal tem 4 filhos. Paralelamente a sua atuação em “A Lei do Amor”, a atriz está escrevendo a série “Valentins”, que será produzida pelo canal pago Gloob / Renato Rocha Miranda-RG

Claudia Abreu repaginou o seu visual especialmente para este trabalho. Agora, com os cabelos curtos, ela esbanja sensualidade.

Ela nasceu no Rio de Janeiro, em 1970, no dia 12 de outubro, portanto acabou de completar 46 anos de idade e tem fôlego invejável. Além de atriz, Cacau – apelido de infância – é formada em Filosofia, pela PUC-Rio.

Casada com o diretor de Cinema José Henrique Fonseca e mãe de Maria, 15 anos; de Felipa, 9; José Joaquim, de 6 anos; e de Pedro Henrique, de 5 anos, Claudia Abreu iniciou sua vida de atriz por acaso e sem grandes pretensões. Levado ao Teatro Tablado por um tio que encenava pequenas peças nas horas vagas, ela decidiu fazer o curso e começaram a surgir às oportunidades de testes, comerciais e teatro infantil. Aos quinze anos, veio a grande chance de fazer teste na Rede Globo e desde então não parou mais.

Uma de suas personagens marcantes foi fazer a Clara, em “Barriga de Aluguel”, uma moça ambiciosa que decide “vender” o seu ventre para um casal que não pode ter filhos, vivido por Cássia Kis Magro e Victor Fasano. Com sua interpretação, Claudia Abreu soube influenciar a opinião pública que já se preparara para massacrar a personagem que acabou sendo compreendida por todos.

No ano de 1999, em “Força de Um Desejo”, a atriz viveu Olívia, uma escrava branca que era atormentada por seus donos. Entre os anos 2003 e 2004, alcançou o estrelato quando interpretou a maldosa e pérfida Laura, em “Celebridade”, contracenando com grandes nomes, como Malu Mader, Fábio Assunção e Márcio Garcia. Na novela de Gilberto Braga, Cacau era inimiga mortal de Maria Clara Melo Diniz, interpretada por Malu Mader, sua amiga na vida real. Depois veio a Vitória, de “Belíssima”, a Dora, de “Três Irmãs”, além de participar de algumas outras produções da Globo.

Não se pode deixar de lembrar novamente a Chayene, de “Cheias de Charme”, sem dúvida um dos melhores momentos na carreira da atriz e que pode ser visto novamente, já que o folhetim está sendo mostrado no “Vale A Pena Ver De Novo”. Em “Geração Brasil”, a atriz interpretou par romântico com Murilo Benício.

A gloriosa Chayene, foi o papel de Claudia Abreu em “Cheias de Charme”. Os fãs podem matar a saudade da personagem assistindo o “Vale a Pena Ver de Novo” que está reprisando a novela / Alex Carvalho-RG
A gloriosa Chayene, foi o papel de Claudia Abreu em “Cheias de Charme”. Os fãs podem matar a saudade da personagem assistindo o “Vale a Pena Ver de Novo” que está reprisando a novela / Alex Carvalho-RG

Nos intervalos entre uma novela e outra, Cláudia Abreu atuou no cinema estrelando vários filmes. Vale destacar que, por sua atuação no filme “Ed Mort”, Cláudia Abreu ganhou o prêmio “Lente de Cristal”, no Festival de Miami.

A atriz não curte muito badalações. Gosta mesmo é de ficar com o marido e os filhos, acompanhada pelos amigos, entre os quais estão Malu Mader e Tony Belotto.

Uma de suas paixões continua sendo o Tablado tanto que integra um grupo que trabalha pela sua restauração e preservação.

Em toda a sua carreira, Cláudia Abreu nunca se importou em ser protagonista ou fazer papéis secundários. Ela sempre encara todos os trabalhos da mesma maneira: dá o melhor de si, sempre.

Leia Também

A trajetória da saudosa TV Excelsior

TV Excelsior, de São Paulo, foi inaugurada no mesmo ano que Brasília. A  emissora surgiu …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *